UCMMAT busca conter gastos e convoca bancada federal para que eleições municipais sejam adiadas e unificadas para 2022

Entidade emitiu um ofício e disse que neste momento é preciso conter gastos e investir ao máximo no combate ao Coronavírus

Por portaldapoliticamt em 22 de março de 2020

Resultado de imagem para EDCLAY COELHO UCMMAT

Presidente da UCMMAT – União das Câmaras Municipais de Mato Grosso, Edclay Coelho (PSD), que também é Vereador pelo município de Vila Bela da Santíssima Trindade, informou que vai convocar a bancada federal para tentar adiar as eleições de 2020 e, como assunto principal, tentar unificar as eleições para 2022. O motivo é as filas e as grandes concentrações de pessoas durante a campanha eleitoral agora em 2020 e nos locais de votação, que podem aumentar a disseminação do Coronavírus.

Edclay, com exclusividade para o Portal da Política MT, disse que irá apresentar a proposta como forma de conter gastos e destinar recursos para ajudar na saúde, no combater aos casos da Covid-19, que necessita de toda a ajuda possível.

“Precisamos  unir forças, buscar alternativas e formas de ajudar, financeiramente, o Brasil, e agora, neste momento, não acredito que teremos capacidade nem condições de sair às ruas, tanto durante a campanha eleitoral, como no dia da eleição” desabafou Edclay.

Ainda sobre, edclay disse que, já nesta segunda-feira, irá buscar uma conversa com toda a bancada federal sobre o assunto explicando sobre a urgência do assunto.

“Iremos buscar a nossa bancada federal e o Congresso Nacional para solicitar a todos, o adiamento das eleições municipais em virtude do que vem acontecendo no mundo e em especial no nosso país, que nos preocupa e muito, precisamos ser solidários e diminuir custos para que seja investido em prol desta pandemia que é o Coronavírus” disse.

Para ele, os vereadores e prefeitos já estão sendo prejudicados, citando a abertura do calendário eleitoral, as janelas e os vereadores e prefeitos, neste momento, estão sendo prejudicados, por não poder se reunir para tomar decisões partidárias.

“Não estamos vendo nenhuma previsão, no sentido de quando vai se voltar a normalidade da Covid-19, nós apoiamos as decisões de todas as autoridades brasileiras, as orientações do governo federal, estadual e municipal, precisamos que todos fiquem em casa, é o momento de conscientização de todos, precisamos colaborar e ficar dentro de nossas casas para que não haja a proliferação deste vírus devastador que assola, não só o Brasil, mas todo o mundo” comentou.

Uma iniciativa, em maio de 2019, pelo então Relator na CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara Federal, deputado Valtenir Pereira (MDB-MT), emitiu parecer favorável, em relação ao entendimento da PEC 376, de 2009, de autoria do deputado federal Ernandes Amorim (PR), que estabelece a coincidência geral dos pleitos para todos os mandatos eletivos, aumentava de 8 para 10 anos, o mandato de Senador, estabelecia o mandato de 5 anos para todos os cargos eletivos e colocava fim a reeleição para os cargos do poder executivo.

Sobre o adiamento das eleições, o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso, divulgou uma nota em que diz que, para isso ocorrer, será necessária uma alteração à Constituição Federal.

“É  papel do Congresso Nacional deliberar acerca da necessidade de adiamento, inclusive decidindo sobre o momento adequado de fazer essa definição. Se o Poder Legislativo vier a alterar a data das eleições, trabalharemos com essa nova realidade”, afirmou Barroso, que assumirá a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em maio deste ano.

 

Fotos: Divulgação/Internet

 

banner white 980x288

Fonte: Juninho Poyer - da Redação

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *