ESPECIAL: A paixão de um médico pela velocidade na terra

Por portaldapoliticamt em 22 de outubro de 2019

Saber se o carro vai sair de traseira ou de frente. Saber se a terra da pista está influenciando na saída do carro. Sair de frente na reta principal é bom ou ruim? Fazer o carro atingir a velocidade necessária, na hora exata. Novato ou experiente?

Estas são palavras que você, talvez, faça uma ideia do que estamos falando. Exatamente! Estamos falando de Automobilismo. Adrenalina, velocidade, terra e poeira, água e lama, muito, mas muito barro.

O automobilismo no Brasil já existe desde o início do século passado e fazia sucesso perante a população. Durante a época em que havia a corrida do Circuito da Gávea, no Rio de Janeiro (anos 1920 a 1940), 240 mil pessoas se amontoavam nas ruas para assistir o evento, o que comprova uma popularização do esporte desde o início do século XX.

Em Mato Grosso, o automobilismo é muito bem difundido, apesar de ser um esporte não muito barato, existem pilotos em quase todos os municípios do nosso estado, porém, falta autódromos nas cidades polos.

Gaiola, kart, rally, arrancada, fusca. Essas são algumas das categorias disputadas por novatos e profissionais experientes, com anos de prática e muitas histórias na bagagem.

Marcel Leão, com sua mãe e os filhos Gabriel e Miguel

Médico oftalmologista por profissão, mas piloto por paixão. Ou seria o contrário? Essa resposta, a equipe do Portal da Politica MT deixa a cargo de Marcel Leão, de 32 anos, um apaixonado por velocidade, adrenalina e muita poeira.

Em entrevista exclusiva, o piloto Marcel – casado, pai de 2 filhos – que corre na categoria autocross Light, explica que o “hobby” não é um esporte muito barato e que, provavelmente, você vai desembolsar uma quantia significativa todo mês para manter a paixão.

Marcel explica que conciliar a carreira de médico, pai e marido, com a de piloto, não é nada fácil, porém, é muito prazeroso.

“Não é nada fácil, médico hoje em dia, trabalha muito, a gente tem que se organizar, porque as provas tomam muito tempo, não é só quesito prova, etapa em si. Uma prova que começa, exemplo, numa sexta-feira, eu preciso preparar o carro, ver o sistema de motor, frenagem, peças quebradas ou que tem que substituir para não ter nenhuma surpresa durante a prova, então, agente faz isso no meio do dia, de madrugada, fica sem almoço, corre aqui e ali, pra dar conta e deixar o carro em perfeitas condições para a prova, isso tudo, sem deixar de ser um bom pai, bom marido e um perfeito médico” comenta Marcel.

Médico salienta que o automobilismo no MT está crescendo muito e a qualidade dos pilotos, tanto os novatos, quanto os mais experientes, vem melhorando a cada prova disputada.

“O  automobilismo no MT tem melhorado muito, os nossos pilotos estão sempre na ponta, estão andando bem, com bons carros, bons mecânicos, isso é muito importante, a equipe é fundamental para a vitória do piloto” comenta Marcel.

Assunto muito importante, Marcel desabafa quando perguntamos porque MT ainda não tem um autódromo, ele explica que o que o ajudou muito foi o fato de participar e aprender em outras categorias como kart de asfalto e arrancadas.

“A gente está brigando muito para que MT possa ser contemplado por um autódromo de qualidade, já passou da hora de sermos presenteados com isso, temos excelentes pilotos e muito material, com resultados aprovados já, precisamos de um autódromo de asfalto em MT, porque o de terra, temos uma das melhores estruturas aqui no autódromo da Bom Futuro, preciso continuar com essa explosão de crescimento no automobilismo mato-grossense” acrescenta Marcel.

Quando o assunto é o estadual, Marcel se mostra empolgado e lembra que a qualidade no estado está acima da média.

“Campeonato estadual está crescendo muito, temos uma categoria de base que é a light, onde os carros são um pouco diferente dos demais, mas uma categoria que está desenvolvendo demais, isso é muito importante, toda a categoria precisa de algo para começar, não adianta você querer entrar na categoria, disputando com pilotos que já estão há 20, 30 anos, por isso, o numero de pilotos na categoria de base vem aumentando muito, com o padrão dos carros aumentando e a qualidade dos pilotos também” diz Marcel.

Marcel já foi campeão, está em segundo lugar no estadual, corre desde 2014, ao contrário da maioria dos campeões, tem apenas 6 anos no esporte e quer alçar novos voos a partir do ano que vem.

“2020 pretendo ir para a categoria principal, o que me motivou foi ser campeão, estar na ponta de novo, da categoria de base, ou seja, estar me preparando para enfrentar esses pilotos que tem uma qualidade excelente, uma qualidade muito boa e uma qualidade de carro excepcional e agradeço aos preparadores e colaboradores do esporte, sem eles o sonho nunca seria realidade, em especial a minha equipe” finaliza Marcel.

banner white 980x288

Fonte: Juninho Poyer - Portal da Politica MT

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta